O PVC Rígido é um dos plásticos mais usados atualmente por possuir excelentes propriedades elétricas e boa resistência ao tempo, à umidade, aos agentes químicos e ao impacto. Ele é utilizado em larga escala na engenharia civil e em comunicação visual, devido à ótima aceitação de tinta serigráfica e vinil adesivo.

É um material que se destaca pela baixa sensibilidade à fissura sob tensão e permeabilidade aos gases e vapor d'água. Sempre é apresentado nas formas de composto, e para sua transformação necessita de uma série de cargas e aditivos, estes adicionados ao polímero básico para que se adapte à aplicação que se destina.

As principais características são: ótima estabilidade dimensional, atóxico (permite contato com alimentos), boa moldabilidade e imprimibilidade, auto extinguível e excelente rigidez.

É apresentado em dois tipos de chapas (de 0,15 e 0,70 mm de espessura e 620x1200 mm de dimensão ou de 1 a 25 e 1000x2000 mm), ou ainda, em tarugos (de 12 a 300 mm de diâmetro e 1000 a 2000 de comprimento).

O PVC Rígido é utilizado na fabricação de cartão, rótulos, etiquetas, parafusos, engrenagens, arruelas, flanges, bombas industriais e outros.

Os principais processos a que as chapas rígidas podem ser submetidas são:

Termoformagem: são utilizadas na confecção de uma série de peças (técnicas ou brinquedos), através dos métodos semi-automático ou manual;

Impressão: são mais frequentemente usadas nos sistemas silk-screen, off-set e fotoquímico;

Corte: para chapas de espessura de até 1,00 mm, o sistema indicado é a guilhotina gráfica ou manual. Já para as de espessura acima de 1,00 mm, são usadas as técnicas balancim ou prensa excêntrica, com serra circular ou de fita, e corte por pantógrafo;

Dobra: podem ser dobradas por aquecimento (ar quente ou outro processo equivalente) para formar cantos arredondados;

Solda: o sistema de soldagem usual entre chapas (principalmente acima de 1,00mm) é o de solda a ar quente.  Pode-se ainda utilizar a colagem, com utilização de adesivos, ou o processo de usinagem.